TV GC

Eu, apenas eu!

O ser humano é um ser social! Somos sociáveis desde nosso nascimento quando dependemos dos progenitores ou responsáveis! Isso ocorre de maneira espontânea e natural dentro da família, até como forma de viver e sobreviver

Familiaridades - 03/11/2017 09:10
Se o sentimento de solidão é intrínseco a todas as pessoas, o ficar só ocorre apenas em alguns momentos (mesmo que longos). Não é possível viver de forma plena, por exemplo, a felicidade e o amor fora das relações! 
A exemplo, o filme “Into The Wild” que é uma história real de um jovem que busca um local para ficar só e feliz. Ao final, sua conclusão é: “A felicidade só pode ser completa se compartilhada!”.
E quando isso ocorre nos nossos relacionamentos?
Existe uma certeza, o egoísmo não combina com as relações!  EU, EU, EU, EU, EU, EU... Precisa dar lugar ao NÓS, NÓS, NÓS... Etc. Quando a maior parte das atitudes e conversas está direcionada as necessidades de apenas um membro dentro do casamento ou família, o mais provável é que esta seja a forma como esta pessoa foi educada, aprendeu e vivenciou as relações dentro da família de origem. Transferindo tais comportamentos para as novas relações. Mas este comportamento não funciona para o desenvolvimento saudável da nova relação que vivencia. Possivelmente se sentirá desamparado dentro desta relação, pois pensa e age em favor de si mesmo (porém com um discurso de atuação para todos e ou para a família). Ao mesmo tempo com a que desemparará as pessoas com quem convive, isentando-as da sua atenção, do seu apoio, do seu carinho (que talvez não saiba dar).
O sentimento que toma conta da família é de certo afastamento e tristeza dentro da relação. Pois não conseguem ter energia e espaço para falar sobre as suas próprias emoções, desejos e sonhos... Etc. Muito provavelmente as cobranças e os exercícios de manipulação nem sempre são claros, o mais provável é que as suas queixas esbarrem em argumentos que aumentem os seu isolamento aos demais. 
Lembre: Nas relações, somos NÓS! 

Mais notícias