TV GC

Operação Cronos encerra com 2,6 mil presos e 341 adolescentes apreendidos

Na região Extremo Oeste, foram realizadas seis prisões de adultos, apreensão de dois adolescentes, nove buscas em residências e apreendidos dois gramas de crack

REGIÃO - 26/08/2018 12:19

Um total de 2.627 pessoas foram presas e 341 adolescentes apreendidos durante a Operação Cronos, coordenada pelo Ministério da Segurança Pública em todo o país. O foco da ação eram crimes de feminicídios e homicídios.Segundo balanço da Polícia Civil, 7.800 policiais participaram das ações em todo o Brasil.Durante a operação ainda foram apreendidas 146 armas de fogo e aproximadamente 383 quilos de droga como maconha, cocaína e crack.

A operação integrada foi classificada pelo ministro Raul Jungmann como um exemplo de como funcionará o Sistema Único de Segurança Pública, em vigor desde junho, após a sanção da Lei nº 13.675/2018.

Policiais civis de Santa Catarina prenderam 58 suspeitos e apreenderam três adolescentes na Operação.A operação nacional continuou ao longo do dia e no Estado envolve o cumprimento de mandados em 35 cidades catarinenses.

Conforme o delegado-geral adjunto da Polícia Civil de Santa Catarina, Luiz Ângelo Moreira, as ações da polícia para combater os crimes de feminicídio são diárias e permanentes, mas nesta sexta-feira ocorreram pelo aniversário da Lei Maria da Penha.

REGIÃO

Na região Extremo Oeste, de acordo com a  delegada responsável pela DPCami, Lisiane Jungles, foram realizadas diligências em todas as cidades entre Dionísio Cerqueira e Itapiranga,  que resultaram em seis prisões de adultos, apreensão de dois adolescentes, nove buscas em residências e apreendidos dois gramas de crack. Uma prisão ocorreu em Descanso, por manutenção de casa de prostituição e em São José do Cedro, duas prisões por prática de violência doméstica. Além de Itapiranga, com dois casos, um por homicídio e outro por estupro, em Mondaí pelo crime de homicídio e em Dionísio Cerqueira uma prisão pelo crime de roubo.

PRISÕES GERAIS NO BRASIL


Prisões

42 por feminicídio

404 por homicídio

289 por crimes relacionados à Lei Maria da Penha

640 por tráfico de drogas, posse/porte irregular de arma de fogo, entre outros

1.252 por crimes diversos


A Operação foi definida em uma reunião do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil, em julho deste ano. Parte das investigações que levaram aos mandados de prisão contou com apoio do Banco de Perfil Genético, que cadastra o DNA de autores de crimes sexuais e confronta com o material genético encontrado nas vítimas. O Ministério da Segurança Pública espera que o banco seja ampliado para 130 mil perfis cadastrados até o fim do ano que vem.



Fonte: redação - G1

Mais notícias