TV GC

Comandante Moisés surpreende e fará segundo turno com Merisio

Quarto colocado nas pesquisas de intensão de voto, o candidato do PSL foi a surpresa da Eleição em Santa Catarina e vai enfrentar agora o Candidato do PSD, Gelson Merisio, o mais votado no 1º turno

Estado - 11/10/2018 17:29


Os candidatos Gelson Merisio (PSD) e Comandante Moisés (PSL) vão disputar o 2º turno das eleições deste ano para o governo de Santa Catarina. Gelson Merisio liderou a corrida com 1.121.869 votos (31,12%). O Comandante Moisés (PSL) foi a grande surpresa a alcançar a 2ª posição com 1.071.406 (29,72%). Moisés aparecia na quarta posição nas pesquisas de intenção de voto, mas nas urnas deixou para trás o líder nas pesquisas, Mauro Mariani (MDB), que somou 23,21% (836.844 votos) e Décio Lima do PT, que alcançou 12,78% (460.889 votos). Camasão (PSOL) somou 72.133 (2,00%), Portanova (REDE) 18.710 votos (0,52%), Jesse Pereira (PATRI) 13.472 (0,37%) e Ingrid Assis (PSTU) 9.944 (0,28%).

O segundo turno da eleição acontece no dia 28. No primeiro turno Gelson Merisio declarou apoio ao candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, o responsável pela ascensão do PSL e que conquistou 62% dos votos válidos em Santa Catarina. Havia a expectativa do posicionamento presidenciável, que em vídeo na internet, declarou que manterá neutralidade em Santa Catarina.

Amin e Jorginho Mello são eleitos para o Senado



Os candidatos Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) foram eleitos senadores por Santa Catarina. Amin recebeu 1.226.046 votos, ou 18,77% dos votos válidos, e Mello teve 1.179.750 votos, 18,07% dos votos válidos. Mello venceu uma corrida apertada contra o estreante Lucas Esmeraldino do (PSL), que somou 17,79% dos votos válidos, ficando a 18.088 votos do segundo eleito. 

Os dois senadores eleitos têm mandatos até 2027 e formam a bancada catarinense com Dário Berger (MDB), eleito em 2014. No atual mandato ainda são senadores até o final do ano: Dalirio Beber (PSDB) e Paulo Bauer PSDB. Bauer tentou a reeleição mas somou apenas 802.037 (12,28%) dos votos e ficou de fora. Quem também ficou de fora foi o ex-governador Raimundo Colombo, do PSD, que somou 999.043 (15,3%) dos votos válidos.

Os demais candidatos apresentaram as seguintes votações: Ideli Salvatti (PT) fez 336.449 votos (5,15%), Lédio Rosa (PT) 327.226 (5,01%), Roberto Salum (PMN) 246.686 (3,78%), Miriam Prochnow (REDE) 84.486 (1,29%), Professor Pedro Cabral  (PSOL) 63.523 (0,97% ), Professor Antonio (PSOL) 51.191 (0,78%), Diego Mezzogiorno (REDE) 38.470 (0,59%) e Ricardo Lautert (PSTU) 13.845 (0,21%).


Mais notícias