TV GC

Vinho Verde

Mondovinno - 01/11/2018 10:17


Enfim o sol apareceu, e as tardes escaldantes já deram o ar de sua graça! Hora de partir para vinhos mais leves, menos alcoólicos, vinhos alegres que combinam com o calor e podem ser consumidos no fim de tarde sem causar aquela moleza!

Então é hora de montar sua adega de primavera verão, e nada melhor do que começar com os Vinhos Verdes. Que na verdade não são verdes, são dourados leves, amarelo citrino, translúcidos e brilhantes. Ou rubi granada, leve, como um bom Pinot noir. Ou ainda com a bela cor de casca de cebola, acobreada, ou cereja leve, enfim rosés de todas as notas. Mas nenhum deles é verde.  Usa-se a palavra verde para dar  contraponto ao termo maduro, uma vez que os vinhos verdes são assim conhecidos pelo seu frescor, sua juventude. São igualmente pouco  alcoólicos, ácidos, digestivos. E podem ser de todas as cores: rosés, brancos ou tintos, tranquilos ou espumantes. . Devem ser consumidos bem frios para que possam expressar ainda melhor suas características.  São a companhia perfeita para as saladas de verão, as massas leves, os legumes, os peixes.

São vinhos jovens e assim devem ser consumidos, então nada de guardar a garrafa na adega para o verão que vem, aprecie logo, em qualquer estação do ano. Diz a lenda que o vinho verde tinto é a melhor companhia para o bacalhau a portuguesa, com muito azeite e azeitonas.  Típico e exclusivo de região demarcada no noroeste de Portugal, o vinho verde teve uma longa história que acompanha de perto a própria história da nação portuguesa. Ao provar os vinhos verdes, você estará provando também da história de Portugal e de suas vinhas.

Desde o tempo da ocupação romana, antes da era cristã portanto, as vinhas eram cultivadas na margem sul do Rio Minho, da forma característica que são ainda hoje.  Os registros desta atividade são encontrados nos  escritos do naturalista Plínio, o Velho, em sua História Natural, e do filósofo Sêneca, em seu compêndio Questões Naturais. Há registros também na legislação do Imperador Domiciano, entre 96 e 51 a.C. Na Idade Média, a partir das atividades dos mosteiros e do interesse da coroa portuguesa   há registros ainda mais detalhados de todo o sistema de produção  dos vinhos verdes. Aventure-se!!


Mais notícias