TV GC

Polícia resgata mulher que era mantida em cárcere privado no interior

Homem de 38 anos foi preso em flagrante por manter a ex-mulher em cárcere privado em uma propriedade rural no interior de São Miguel do Oeste. Ele ainda estava ameaçando matar a mãe o irmão da vítima, um menino de 10 anos

São Miguel do Oeste - 29/11/2018 13:46

Divulgação/ Polícia Civil


A Polícia Civil, através da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Fronteira - DPCAMI/FRON/SMO prendeu em flagrante na quarta-feira, dia 28, um homem de 38 anos, que estava mantendo a ex-mulher em cárcere privado em uma propriedade rural, no interior de São Miguel do Oeste, além de estar ameaçando matar a mãe da vítima e seu irmão de apenas 10 anos acaso acionassem a polícia.

No dia 27 de novembro de 2018, a vítima, uma mulher com 26 anos, acionou a DPCAMI/FRON, noticiando estar sendo alvo de injúrias e ameaça por parte de seu ex-companheiro, em razão de tê-lo deixado no Rio Grande do Sul, onde viviam, e ter retornado a São Miguel do Oeste. Em razão dos fatos, à vítima foi solicitado e imediatamente deferido pedido de Medidas Protetivas de Urgência. Inconformado com o rompimento da relação, o autor percorreu cerca de 500 quilômetros e, encontrando a vítima, passou a mantê-la em cárcere privado a fim de obriga-la a retornar ao Rio Grande do Sul na data desta quinta-feira.

A equipe policial da DPCAMI/FRON, ao tomar ciência da situação, organizou operação de resgate com apoio da Divisão de Investigação Criminal - DIC/FRON/SMO, Delegacia de Polícia de Fronteira - DPCO/FRON/SMO e Serviço Aerotático - SAER/FRON, e deslocou até a propriedade onde o autor mantinha as vítimas em seu poder.

As três vítimas foram resgatadas em segurança e o autor, após alguma resistência, foi contido e preso pela Polícia Civil. O homem foi preso em flagrante pela prática dos crimes de cárcere privado e por desobedecer às Medidas Protetivas de Urgência deferidas em favor de sua ex-companheira. De acordo com a polícia, a situação evidenciou a importância de as mulheres que enfrentam situações de violência acionarem a Polícia Civil a fim de que ações eficientes e rápidas sejam adotadas.


Fonte: TV GC

Mais notícias