TV GC

Secretário garante atendimento normal após devolução de ambulância

Segundo Leonir Caron, a ambulância possuía alto custo de manutenção e o município não tinha autonomia para utilizá-la. Ele afirma que a demanda será suprida com a disponibilização de uma ambulância própria da Secretaria de Saúde

São Miguel do Oeste - 11/01/2019 10:28

O município de São Miguel do Oeste deixou de utilizar a Unidade de Suporte Básico 03 (USB-03) do Serviço Móvel de Urgência (SAMU). A ambulância, que permanecia na Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA 24h), deixou de operar desde o segundo dia deste ano. O veículo era utilizado para atender casos de baixa complexidade. O SAMU, no entanto, continua operando com uma Unidade de Suporte Avançado (USA), utilizada para o atendimento de casos complexos, que está na sede do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde, Leonir Caron, a ambulância possuía alto custo de manutenção e o município não tinha autonomia para utilizá-la. Dessa forma, o veículo foi entregue à Regional de Saúde, em São Miguel do Oeste, para ser devolvido ao estado. Os funcionários que trabalhavam no serviço móvel foram remanejados. “Quando surge uma demanda para transportar um paciente, ou fazer um socorro, esta equipe só era liberada se a equipe de regulação, que fica em Chapecó, entender que é necessário. Então é um contrassenso o município ficar gastando, mas não poder fazer a gerência sobre isso”, afirma.

O secretário conta que a unidade móvel atendia, em média, 74 ocorrências por mês, custando cerca de R$ 17 mil ao município, sem contar os mais de R$ 20 mil repassados pelo governo estadual. Caron conta que há dois anos o município vinha buscando o aumento de repasses estaduais ou uma mudança na operacionalização dos serviços prestados. As reivindicações não foram atendidas e o município decidiu suspender a utilização do veículo.

Caron destaca que a população não ficará sem atendimento e que a demanda será suprida com a disponibilização de uma ambulância própria da Secretaria de Saúde. “Quando a UPA solicitar o transporte, nós, de imediato, liberamos [a ambulância] daqui [da secretaria], porque essa ambulância está na frente da Secretaria Municipal de saúde e o motorista está de sobreaviso no aguardo de um chamado. Então não há prejuízo, a população não ficará descoberta. Pelo contrário, essa ambulância fica 24 horas por dia”, finaliza.

Mais notícias