TV GC

Um gesto do tamanho de uma grande amizade

Jean adapta um triciclo na bicicleta para João, que tem paralisia cerebral, poder participar das corridas. O desafio mais recente ocorreu no mês de março, quando a dupla encarou 24 km de subida na Serra do Rio do Rastro

São Miguel do Oeste - 04/04/2019 13:09 (atualizado em 04/04/2019 17:36)
Carregando Vídeo


A dupla participou de desafios de corridas nos últimos meses e o mais recente foi os 24 km de subida da 11ª Desafio de Ciclismo da Serra do Rio do Rastro


Não há dúvida que amigos são pessoas especiais, que “dão cor” à nossa vida. Mas amigos são muito mais do que isso. Amigos impulsionam, auxiliam, orientam, transformam os dias e os lugares comuns em extraordinários com um simples gesto. Nenhum caminho é longo ou difícil demais quando um amigo nos acompanha. Uma amizade que é espelho de tudo isso é a dos migueloestinos Jean Picinini, de 35 anos, e João Vitor Stanga, de 10 anos, que iniciou há cerca de um ano.  A dupla participou de desafios de corridas nos últimos meses e o mais recente foi os 24 km de subida da 11ª Desafio de Ciclismo da Serra do Rio do Rastro, entre Lauro Muller e Bom Jardim da Serra, no início do mês de março.

Jean Picinini conta que conheceu o Joao através da sua esposa. “Minha esposa começou a trabalhar com o João há cerca de um ano, foi aí que nos conhecemos. Iniciamos a jornada no Circuito de Corridas da Unimed, em São Miguel do Oeste, no final de 2018. A Unimed disponibilizou o triciclo e participamos, em duas oportunidades”, explica.

Picinini ressalta que correr na Serra do Rio do Rastro foi realmente um desafio. “Quando surgiu a oportunidade de ir para a corrida na Serra Catarinense eu convidei o João e a Ana (mãe de João), e ela adquiriu um triciclo, que atrasou e chegou em cima da hora. Adaptamos ele na bicicleta da forma que achamos que seria seguro e fomos, nem sabíamos se daria certo. No dia da prova o tempo não estava bom, estava nublado e isso não é seguro para o João, mas conseguimos realizar dentro do previsto e correu tudo bem”, destaca.

O amigo da família frisa ainda que conseguir realizar a prova foi emocionante. “A prova por si só era um desafio muito grande, são 24km de subida, com o tempo nublado. Mas a felicidade que o João demonstrava a cada km era imensa. As pessoas passavam por nós e falavam frases de apoio, e isso nos impulsionava ainda mais para cumprir o desafio. Os pais dele já estavam chorando na largada, foi muito emocionante”, ressalta Jean. 


“Ele estava tão feliz, tão animado, ele sorriu do início ao fim”, diz a mãe


Os amigos juntamente com a mãe Ana Paula Stanga


A mãe de João Vitor, Ana Paula Stanga, explica que o filho foi diagnosticado com paralisia cerebral ainda pequeno. “O João nasceu extremamente prematuro, ficamos três meses no hospital após ele nascer. Ainda bebê ele foi diagnosticado com paralisia cerebral, o que para mim foi um alivio, porque o primeiro diagnóstico que recebemos foi de tumor. Então analisando as duas situações, com paralisia a vida dele seria maior, parece estranho falar, mas realmente foi um alívio. Ele sempre frequentou escola normal, sempre incluímos ele em tudo. Saímos para restaurantes e festas, viajamos, sempre com ele”, explica a mãe. 

Ana Paula fala sobre a amizade entre o filho e Jean. “A gente fica muito feliz com tudo isso que o Jean está fazendo por ele, porque é uma forma de incluir ele em coisas que a gente não conseguia. Ele tem amigos que vão no futebol, no jiu-jitsu, praticam atividades que ele não consegue, então agora que ele também está nesse meio ele está muito feliz. Agradeço muito ao Jean por proporcionar esses momentos a ele”, enaltece.

Sobre o desafio da Serra do Rio do Rastro, Ana ressalta que confiou em Jean e autorizou a participação do filho. “Eu confiei meu filho a ele, porque percebi que isso faz bem para o João. Ele fica alegre e animado, agora está todo orgulhoso mostrando as medalhas para os amigos. No dia da prova fiquei um pouco receosa, porque estava nublado, um tempo impróprio para ele participar. Ele tem imunidade baixa, então qualquer descuido pode se transformar em algo maior e, por incrível que parece, ele não teve nada, nenhuma reação de resfriado. Ele estava tão feliz, tão animado, era nítido, ele sorriu do início ao fim”, destaca. 

Ana Paula argumenta que praticar esse esporte auxiliou também na saúde de João. “Nós conversamos com ele e falamos que um atleta precisa de alimentar bem, então ele começou a se alimentar melhor e até ganhou peso. Ele sempre foi muito magrinho e ganhar peso agora foi muito bom”, finaliza a mãe.

Fonte: TV GC
Envie suas sugestões de pauta para a redação
WhatsApp Business TVGC (49) 99936 0092

Mais notícias

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.