TV GC

BALANÇO SOCIAL DA EPAGRI DE 2018 É APRESENTADO PARA A SOCIEDADE

De Olho no Campo - 09/07/2019 11:58


Na última semana, mais precisamente no dia 26 de junho na Casa d’Agronômica em Florianópolis, a presidente Edilene Steinwandter e o secretário de Estado de Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural Ricardo de Gouvêa entregaram ao Governador do Estado Carlos Moisés da Silva, o Balanço Social da Empresa de 2018.

O resultado é magnífico, pois a cada real que o Governo do Estado investiu na Epagri em 2018 beneficiou os brasileiros com R$6,20. O documento reúne os resultados de cálculos que analisaram 111 tecnologias e cultivares desenvolvidos, lançados e difundidos pela Epagri.

De acordo o estudo, a contribuição da Empresa no retorno gerado pelas tecnologias e ações adotadas pelos agricultores é de R$2,23 bilhões. Já o retorno global das tecnologias geradas pela Epagri, considerando a contribuição de todos os agentes para o uso dessas soluções, foi estimado em R$5,11 bilhões.

AUTORIDADES ENALTECERAM ESSA CONQUISTA DA EPAGRI


Conforme afirmou o governador, “alimentos saudáveis, riqueza na mesa, emprego e renda. Tudo isso está demonstrado no Balanço Social da Epagri. Para o governo de Santa Catarina é muito importante mostrar como o recurso público está revertendo em benefício do cidadão”. O governador Moisés disse ainda que a Epagri é uma empresa pública que dá gosto de ter, pela sua importância junto a sociedade catarinense.

Já o secretário de Estado de Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa, reforçou a importância desse retorno à sociedade, que é divulgado no Balanço social. “Toda empresa faz isso para seus acionistas e o serviço público tem que fazer também. Nossa grande acionista é a população e ela tem que receber esses números de uma forma muito transparente e de fácil compreensão”.

E a nossa presidente da Epagri, Edilene Steinwandter, mencionou que “a Epagri trabalha pela sociedade. Transforma os recursos investidos na Empresa em benefícios econômicos, sociais e ambientais que chegam, de diversas formas, às famílias rurais e urbanas. O Balanço Social apresenta, de forma transparente, um resumo desse trabalho”. A presidente complementa que o desafio da Empresa é continuar gerando muita tecnologia e muitos sistemas de inovação e de produção de uma forma que venha melhorar a rentabilidade do agricultor familiar catarinense, sua condição de vida, sua relação com o ambiente.  “Que todas as tecnologias trabalhadas, difundidas e geradas pela Epagri tenham como pano de fundo uma produção limpa, sustentável e um alimento seguro”.

CADA REAL INVESTIDO NA EPAGRI RESULTOU EM R$6,20 PARA A SOCIEDADE

O Balanço Social da Epagri também contabilizou 119 mil famílias assistidas e 2,5 mil entidades atendidas ao longo do ano. Em 2018, foram executados 315 projetos de pesquisa e 15 tecnologias foram lançadas.

O documento ainda apresenta casos de sucesso de agricultores, pecuaristas e pescadores que atuam em diferentes cadeias produtivas do Estado. O Balanço Social conta algumas histórias que revelam o poder de transformação do trabalho da Epagri. Elas são um convite para a sociedade conhecer o esforço que está por trás do alimento de cada refeição. 

Todo esse esforço dos mais de 1740 funcionários distribuídos em todo estada catarinense resultou neste enorme resultado econômico, pois cada real investido em tecnologias desenvolvidas pela Epagri retorna para a sociedade R$6,20.

Vejam mais números da Epagri do Balanço Social 2018: Contribuição da Epagri no retorno que as tecnologias e ações da Empresa geraram para a sociedade R$2,23 bilhões. Retorno global considerando a contribuição de todos os agentes que usaram as tecnologias da Epagri R$5,11 bilhões e foram 111 Soluções tecnológicas produzidas e difundidas pela Empresa.

UMA VERDADEIRA COLHEITA DO ANO


Em resumo o balanço social apresenta também mais números impressionantes como: 315 projetos de pesquisa executados, 15 tecnologias lançadas, 119 mil famílias atendidas, 54,2 mil famílias capacitadas, 2,5 mil entidades atendidas e 18,3 mil Jovens assistidos.

Na “prestação de serviços” foram realizados 50,9 mil análises de solo, 142,5 mil atendimentos em escritório, 3,9 milhões de acessos à página de previsão do tempo e 73,5% das Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAPs) emitidas no Estado.

Com relação ao “acesso ao crédito”, foram 7,2 mil propostas elaboradas com mais de 6,3 mil beneficiários em 289 municípios contemplados e aplicados R$280 milhões em recursos.

Já no aspecto relacionado a “Informação Técnica e Científica”, os números também são impactantes, pois foram realizadas 863 publicações técnico-científicas, geradas 8,6 milhões de visualizações no canal da Epagri no Youtube, 240 vídeos técnicos e 200 programas de rádio veiculados em mais de 120 emissoras.

PLANO SAFRA DEVE DISPONIBILIZAR R$ 14,3 BILHÕES PARA SANTA CATARINA

Os agricultores e pescadores de Santa Catarina contarão com uma disponibilidade maior de recursos nesse Plano Safra. A expectativa é de que sejam destinados R$ 14,3 bilhões para crédito rural, seguro agrícola e apoio à comercialização da produção catarinense. O Plano Safra 2019/2020 terá R$ 225,59 bilhões para investimentos em todo país, um aumento de 30% em relação ao último ano.

Se as cotas estaduais acompanharem o crescimento do Plano Nacional, Santa Catarina terá R$14,3 bilhões em recursos para a próxima safra. O crédito rural está disponível a partir desta semana, início do ano-safra, e contemplará pequenos e médios agricultores e pescadores.

Só o Branco do Brasil, uma das instituições que atuam com crédito rural, espera investir R$ 7,7 bilhões em Santa Catarina com o Plano Safra 2019/2020, sendo R$ 2,2 bilhões para os pequenos produtores enquadrados no Programa de Agricultura Familiar (Pronaf), R$ 600 milhões para os médios produtores (Pronamp) e R$ 4,9 bilhões para os demais produtores e cooperativas. Sem contar os recursos captados por cooperativas de crédito e bancos privados.

No último Plano Safra, os produtores catarinenses mobilizaram aproximadamente R$ 11 bilhões em recursos, com mais de 122 mil contratos. Com 1,12% do território nacional, Santa Catarina respondeu por 7% das aplicações nacionais e por 13,6% das aplicações do Pronaf.

Os valores utilizados em Santa Catarina foram divididos em: R$ 4,11 bilhões para custeio; R$ 2 bilhões para investimentos; R$ 3,7 bilhões para comercialização e R$ 780 milhões para industrialização. Soma-se ainda os R$ 3 bilhões aplicados por produtores enquadrados no Pronaf. Nessa modalidade foram 81,7 mil contratos, R$ 1,59 bilhão aplicados em atividades agrícolas e R$ 1,47 bilhão na pecuária.

Mais notícias