TV GC

Novembro Roxo - Mês de Conscientização sobre a Prematuridade

Feminíssima - 01/11/2019 15:28


Neste mês a coluna da Feminíssima Materna trará um destaque especial ao tema Prematuridade, visto que no dia 17 de novembro é o Dia Mundial da Prematuridade e que 1 em cada 10 bebês nasce prematuro, o Novembro Roxo chama atenção para a causa da prematuridade visando mudar essa realidade.

Falaremos nas próximas semanas sobre como evitar um parto prematuro, sobre o bebê prematuro e suas especificidades e sobre casos de bebês prematuros que superaram quaisquer expectativas de sobrevida saudável. 

Hoje começaremos o assunto com o tema aonde a vida começa, na GRAVIDEZ....

Quando se está grávida e não há histórico de parto prematuro (antes de 37 semanas de gestação) nem fatores de risco associados, não se quer ouvir falar sobre o assunto.

Acontece que nem sempre a prematuridade dá sinais de que vai acontecer e ainda não se conhece todas as causas que levam ao parto prematuro; em muitos casos não se consegue associá-la a uma causa específica.

No Brasil, a taxa de partos antecipados é de 12,4%, de acordo com dados do Sistema de Informações Sobre Nascidos Vivos (Sinasc) e do Ministério da Saúde (2014). Somos o 10o país no ranking da prematuridade, perdendo apenas para países como Ìndia, China, Nigéria e Paquistão, é o que revela o relatório do estudo Born Too Soon realizado pela ONG americana March of Dimes. 

Corro risco de ter um parto prematuro?

Estão em maior risco para trabalho de parto prematuro as mulheres que já passaram por um parto prematuro, que estão grávidas de gêmeos ou múltiplos ou com história de problemas de colo do útero ou uterinos.

Além disso, outros fatores podem levar ao parto prematuro: ausência do pré-natal, fumo, álcool, drogas, estresse, infecções do trato urinário, sangramento vaginal, diabetes, obesidade, baixo peso, pressão alta ou pré-eclâmpsia, distúrbios de coagulação, algumas anomalias congênitas do bebê, gestações muito próximas (menos de 6 a 9 meses entre o nascimento de um bebê e ficar grávida novamente), gravidez fruto de fertilização in vitro e idade menor de 17 anos e acima de 35.

Fonte: Associação Brasileira de pais, familiares, amigos e cuidadores de bebês prematuros.

Fala da Psicóloga

Durante o mês vamos falar sobre a prematuridade, e minha parte vai ser especial, vamos  usar um termo chamado empatia... Nos colocar no lugar do outro...vou trazer a experiência real das mães que tem seus planos alterados e alguém decide  vir. Vamos pensar durante essa semana e se fosse comigo? Como seria? Durante o mês a experiência real desse assunto.

Mais notícias