TV GC

BANDEIRANTE REALIZOU O 17º SEMINÁRIO MUNICIPAL DE CRÉDITO FUNDIÁRIO

De Olho no Campo - 01/11/2019 15:36


A Epagri de Bandeirante com apoio da Prefeitura, Sindicato dos trabalhadores rurais, Sindicato dos produtores rurais, Sicoob e Banco do Brasil realizou no último dia 25/10/19 na comunidade da Linha Hélio Wassun no município de Bandeirante no Extremo oeste catarinense  o 17º Seminário Municipal de Crédito Fundiário de Bandeirante. 

Prestigiou o evento mais de 30 pessoas, entre famílias rurais pertencentes ao programa de crédito fundiário, técnicos, representantes de entidades, autoridades municipais e regionais como gerente regional da Epagri, Sidinei Egon Simon, e o agricultor e vereador Valmir Petry de Bandeirante. 

Na parte da manhã aconteceu uma palestra sobre o “Sal e seu uso na busca da vida saudável” com a Extensionista social da Epagri de Bandeirante, Francisca Freiberger. Ainda de manhã o extensionista rural da Epagri de Bandeirante José Clóvis Moreira explanou sobre o programa de Crédito Fundiário, falando das normas e dos projetos produtivos. Já o gerente do Banco do Brasil de São Miguel do Oeste, Valter Viapiana e seu colega Everson dos Santos falaram das linhas de crédito e tiraram dúvidas sobre o programa.

Após o almoço ocorreu mais uma palestra sobre “Silo secador - modelo da Epagri e Energia solar” com o extensionista rural da Epagri de São Miguel do Oeste, Elvys Taffarel.

Em seguida foi realizada a tradicional troca de produtos como sementes diversas, mudas de árvores frutíferas e nativas, mudas de gramas, ovos caipiras, plantas bioativas, mel e outras. Aliás, este momento sempre foi o ponto alto do evento onde os participantes trazem seus produtos e trocam com as outras famílias resgatando as sementes crioulas e promovendo a propagação da alimentação saudável.

Mais uma vez o encontro atingiu seus objetivos e deixou as famílias animadas para o próximo ano no mês de outubro será realizado o 18º encontro com as famílias do crédito fundiário na sede do município.

Em Bandeirante te mais de 45 famílias do programa de crédito fundiário que recebem assistência técnica da Epagri e pode-se ver que os resultados tanto nos aspectos econômico, social e ambiental são muito positivos. 

O QUE SIGNIFICA UMA URT 

O que significa uma URT? Unidade de Referência Tecnológica, onde são testadas novas tecnologias e servem referência para outras famílias aplicar em suas propriedades. Essa metodologia é a mais aceita pelas famílias, pois conhecem na própria comunidade os resultados aplicados a campo.

Em cada município é instalado uma URT numa propriedade e nela são aplicadas e desenvolvidas tecnologias para melhorar a produção de leite, de carne de frutas e/ou hortaliças que busca a produção sustentável com foco na produção de leite a base de pasto perene, bem como na produção de hortifruti de forma sustentável e limpa.

O objetivo desses encontros de URT é trocar experiências entre os participantes que possui uma unidade instalada em sua propriedade. Além disso, conhecer outras para depois aplicar as novidades em sua URT. 

ACONTECEU O SEMINÁRIO REGIONAL DE URTS


A estratégia de Unidades de Referência Tecnológicas (URTs) tem se mostrado como importante meio de difusão de técnicas e tecnologias preconizadas pela Epagri e seus parceiros. 

O seminário regional de URTs que abrange 40 municípios das regionais da Epagri de Palmitos e São Miguel do Oeste, aconteceu dia 30 de outubro, a partir das 09:00 horas no Latitude Eventos de São Miguel do Oeste.

A programação contou com palestra sobre a estrutura e objetivos das Unidades de Referência Tecnológicas dos 40 municípios que compõem a Unidade de Gestão Técnica 9 da EPAGRI.

Em seguida foram apresentados os resultados alcançados de 04 (quatro) URTs da região, sendo uma de produção de leite a pasto perene, outra sobre produção de carne a pasto perene, outra sobre a produção de hortaliças com certificação orgânica e por fim uma sobre experiências com diversos tipos de plantas frutíferas.

Por fim ocorreu uma palestra sore as Tendências de Clima para a Safra 2019/2020 com o Meteorologista Clóvis Corrêa da EPAGRI/CIRAM de Florianópolis

Este Seminário é promovido pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, através da EPAGRI e conta com o Apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Teve a presença de mais e 80 pessoas.

EXPECTATIVA É DE SAFRA CHEIA DE SOJA

O clima possibilitou a aceleração dos trabalhos de campo nas últimas semanas, mas o plantio de soja segue atrasado em relação ao ano passado no Brasil. Ainda assim, as primeiras estimativas para a temporada 2019/2020 apontam para crescimento da produção, com técnicos e consultores avaliando que ainda é muito cedo para medir os efeitos dessa situação sobre a produtividade das lavouras.

Levantamento recente indicam que até o fim da semana passada. Com as boas condições, o avanço foi de 14 pontos percentuais em relação à semana anterior. Nessa mesma época no ano passado, estava em 46% e, na média dos últimos cinco anos, em 31%.

O avanço foi determinado por Mato Grosso. Uma avaliação reforçada pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). No Estado, as condições favoráveis levaram os produtores a percorrer mais de 5,65 milhões de hectares só nas últimas três semanas. Até a última sexta-feira (25/10), as máquinas haviam passado por 65,4% da área para a soja no MT, estimada em 9,775 milhões de hectares.

Ainda assim, o trabalho está mais lento que na mesma época do ano passado, quando a proporção de área plantada estava em 73,25%. Mas, em relação à média dos últimos cinco anos, o ritmo é maior. Nessa mesma época, os agricultores estavam com 48,63% da área plantada. O produtor tem o costume de olhar apenas para a safra passada. Na média dos últimos cinco anos, o plantio está à frente e a tendência é de que se recupere.

VEM AI FAISMO 2019


A Faismo 2019 acontece de 14 a 17 de novembro. É uma realização da Acismo e CDL, com o apoio da Prefeitura de São Miguel do Oeste. Mais de cinco meses antes de seu início, os estandes já estavam todos comercializados. Serão mais de 280 expositores, em uma das maiores feiras multissetoriais já realizadas no Extremo Oeste de Santa Catarina.

Já o setor da agricultura e pecuária terá amplo espaço para o gado de corte e de leite, ovinocultura e outros animais. Já a agricultura familiar terá uma área destinada a este setor para a exposição de produtos coloniais, alimentação e artesanato.

Mais notícias