TV GC

A fisioterapia diante da pandemia da Covid-19

Em meio a tantas mudanças, os serviços e profissionais da saúde sofreram grandes impactos ao assumir a linha de frente do combate à pandemia causada pelo Coronavírus, entre eles, os fisioterapeutas.

Saúde - 23/12/2020 16:37 (atualizado em 23/12/2020 17:33)


Elisângela Cristofoli – Fisioterapeuta - Crefito - 150761-F


Um vírus que não escolhe idade, sexo ou classe social, fez a população mundial mudar rotinas e adaptar-se a uma nova realidade. Em meio a tantas mudanças, os serviços e profissionais da saúde sofreram grandes impactos ao assumir a linha de frente do combate à pandemia causada pelo Coronavírus, entre eles, os fisioterapeutas.

As principais funções do serviço de fisioterapia no ambiente hospitalar são: 

- Ajustar e controlar a ventilação mecânica invasiva (os tão falados “Respiradores”) e não-invasiva; 

- Ajustar/retirar o oxigênio; 

- Auxiliar na pronação; 

- Prevenir e tratar complicações respiratórias e motoras decorrentes da doença, tendo como objetivo primordial devolver a funcionalidade aos pacientes, após períodos de imobilidade durante a internação.

Pacientes não-internados 

É importante dar ênfase às pessoas que não precisaram de hospitalização, mas, que perceberam o impacto do vírus nas atividades de vida diária, apresentando fadiga e fraqueza muscular, dores nas pernas, cansaço aos esforços, falta de ar/respiração curta, tosse ao esforço e piora na qualidade de vida.

As metas da fisioterapia no tratamento destes pacientes incluem:

- Melhorar a falta de ar;

- Manter/melhorar a função pulmonar;

- Prevenir complicações osteomioarticulares e vasculares;

- Prevenir incapacidades; 

- Melhorar/manter a qualidade de vida contribuindo para redução da ansiedade e depressão.

Dicas

Como dicas aos pacientes pós-período de hospitalização e/ou isolamento domiciliar estão: 

- A hidratação e alimentação adequada; 

- Retorno gradual das atividades; 

- Procurar aos especialistas (pneumologista, cardiologista, vascular) para monitorização do quadro; 

- Além disso, o acompanhamento com fisioterapeuta cardiopulmonar é importante para avaliar e tratar os efeitos da doença na função pulmonar e as complicações motoras. 

Com base na avaliação individualizada, a abordagem da Fisioterapia Cardiopulmonar compreenderá exercícios de força e resistência, além do trabalho da musculatura inspiratória, técnicas de reeducação da respiração, técnicas de eliminação de secreções e orientações sobre os benefícios da prática de exercícios, atividades físicas e de lazer.


Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste
Elisângela Cristofoli – Fisioterapeuta - Crefito - 150761-F

Diretora técnica - Katia Bugs – médica - CRM 10375 – Nefrologista - RQE 5333

Fonte: Ascom ASSOBRAFIR
Envie suas sugestões de pauta para a redação
WhatsApp Business TVGC (49) 99936 0092

Mais notícias