TV GC

Procon orienta empresas sobre fixação dos preços nas mercadorias

Na oportunidade participaram do encontro a secretária da Associação Comercial e Industrial de São José do Cedro, Susana Dariva Boldrin, o prefeito João de Andrade, o Secretário de Administração, Edimilson Dalmagro, a Secretária de Planejamento, Kelly Figueiró e a estagiária do Procon, Maiara Markus.

São José do Cedro - 13/07/2021 11:05


Foto: Divulgação


O Procon da comarca de São José do Cedro está orientando os estabelecimentos sobre a exigência. Conforme a coordenadora do órgão de defesa ao consumidor, Silvana Lazzari  na semana passada foi promovida uma reunião com a Acisc/CDL para que a entidade ajude orientar as empresas sobre a legislação. Na oportunidade participaram do encontro a secretária da Associação Comercial e Industrial de São José do Cedro, Susana Dariva Boldrin, o prefeito João de Andrade, o Secretário de Administração, Edimilson Dalmagro, a Secretária de Planejamento, Kelly Figueiró e a estagiária do Procon, Maiara Markus.


Silvana explicou que o Ministério Público da comarca tem cobrado do Procon orientações a respeito da regra e por isso o objetivo é reforçar aos empresários  os detalhes sobre o decreto 5.903, que obriga os fornecedores a etiquetar suas mercadorias, informando todas as condições da compra, em letras uniformes, tanto na vitrine e quanto no interior da loja. 


A coordenadora explica que o decreto além de regulamentar a Lei Federal de Precificação nº. 10.962/04, ainda fortalece o Código de Defesa do Consumidor (Art. 6º, CDC), que traz como direito básico o acesso à informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, como preços, quantidade e características.  Um dos principais objetivos dessa medida é garantir que o consumidor tenha acesso aos preços, sem que tenha que pedir qualquer tipo de ajuda ao comerciante. 


Silvana esclarece que os valores podem ser fixados de três formas: com etiquetas afixadas direto nos produtos, por código referencial ou por código de barras. Na opção do código referencial, é necessário que o mesmo e seus respectivos preços sejam visíveis e próximos aos itens que se referem. Já na opção de identificação por leitura ótica, o estabelecimento deve ter máquinas que identifiquem o preço das mercadorias. É obrigatório, também, informar o consumidor quanto ao parcelamento da compra, como valor à vista e a prazo, o número e valor de parcelas, juros cobrados e eventuais acréscimos sobre o valor do financiamento. 


A coordenadora revela que o Procon também fez contato com a ACEGS que representa várias empresas de Guarujá do Sul para, do mesmo modo, repassar as orientações.


Nos próximos dias serão entregues panfletos informativos para os estabelecimentos comerciais.

Fonte: Ascom Prefeitura
Envie suas sugestões de pauta para a redação
WhatsApp Business TVGC (49) 99936 0092

Mais notícias

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.