TV GC

Covid-19 recua em SC, com 3 regiões em alerta máximo e uma em nível alto; confira

Atualização divulgada na manhã deste sábado (24) mostra um panorama de melhora da pandemia em quase todo o território catarinense

CORONAVÍRUS - 25/07/2021 08:53


Foto: Governo do Estado

A mais recente atualização do Mapa de Risco Potencial para a Covid-19 divulgado pela SES (Secretaria de Estado da Saúde) na manhã deste sábado (24) mostrou, mais uma vez, um panorama de recuo da pandemia em SC e voltou a apresentar uma região no nível alto (amarelo) da classificação de risco.

Além disso, o número de regiões no nível grave (laranja) passou para 12 e as regiões em estado gravíssimo (vermelho), o alerta máximo da matriz, caíram para três.

Ocupação de UTIS em nível moderado

A região que apresenta a melhor situação e que evoluiu do nível grave para o alto é o Meio-Oeste. O melhor índice da região é a Capacidade de Atenção, que avalia a ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), e recebeu nota 1, ficando no nível moderado (azul).

Segundo a SES, desde a criação da Matriz de Risco em julho de 2020, foi a primeira vez que três regiões foram classificadas com o risco moderado (azul) para a ocupação de leitos de terapia intensiva. Além do Meio-Oeste, o Alto Uruguai e o Extremo Sul Catarinense também foram classificados com o risco moderado neste quesito.

Apenas as regiões da Foz do Rio Itajaí, Médio Vale do Itajaí e Nordeste permaneceram classificadas com o nível gravíssimo. Xanxerê, Laguna, Alto Vale do Rio do Peixe e Carbonífera, que na semana passada estavam em nível gravíssimo, conseguiram melhorar os índices.

Atualmente, o governo do Estado utiliza quatro critérios para elaborar a matriz de risco: Evento Sentinela (ocorrência de óbitos pela doença), Transmissibilidade (variação no número de confirmação positiva e casos infectantes), Monitoramento (percentual de positividade de exames RT-PCR do Lacen) e Capacidade de Atenção (ocupação de leitos de UTI Covid).

De modo geral, dois critérios chamam mais atenção na atualização deste sábado (24): Transmissibilidade, no qual 15 regiões estão em nível grave e uma – o Alto Uruguai – está no gravíssimo; e a Capacidade de Atenção.

Apesar de ter três regiões em nível moderado (azul), o critério que acompanha a ocupação das UTIs também é o que tem mais regiões em nível gravíssimo: ainda são sete, todos com a nota máxima – 4.

Na dimensão que avalia o número de mortes – Evento Sentinela – ainda há três regiões no nível gravíssimo: Foz do Rio Itajaí, Nordeste e Xanxerê, todas com nota 3,5. As outras 13 regiões aparecem entre os níveis grave e alto.

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, destacou que a união entre Estado, municípios, profissionais de saúde e população em geral foi o que proporcionou a melhora nos índices.

“Temos avançado cada vez mais e conquistamos números expressivos na vacinação. Mas ainda temos três regiões em estado gravíssimo e doze em estado grave. Precisamos continuar atentos com os cuidados pessoais e os regramentos para vencemos essa batalha”, disse.

Fonte: NDMais
Envie suas sugestões de pauta para a redação
WhatsApp Business TVGC (49) 99936 0092

Mais notícias

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.