TV GC

Queda em idosos: saiba as causas e como evitar

Saiba mais sobre o assunto em mais um artigo do Programa Viva Bem

São Miguel do Oeste - 03/08/2021 14:41 (atualizado em 03/08/2021 14:43)


É comum ao longo da terceira idade os idosos sofrerem algum tipo de queda. Mas, isso por ter consequências muito graves e pode sinalizar o início de fragilidade ou indicar alguma doença. 

Estudos mostram, que 30% dos idosos sofrem quedas e 75% dessas quedas acontecem dentro das próprias residências. O alerta é para algumas ações simples que podem evitar possíveis acidentes em casa para evitar complicações mais graves como fraturas, principalmente de fêmur, quadril e traumatismo craniano.

Alguns estudos indicam que idosos que já sofreram uma queda apresentam maior risco de cair novamente. Os idosos mais saudáveis caem menos, cerca de 15% em um ano, e apresentam redução da mobilidade, da independência, e aumento do risco de morte prematura.

De acordo com o setor de Ortopedia do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso – Instituto Santé, nos meses de inverno os cuidados devem ser redobrados, devido a incapacidade funcional do idoso diminuir nessa época.

Os fatores de risco que mais se associam às quedas são: idade avançada (idosos acima de 60 anos); história prévia de quedas; imobilidade; baixa aptidão física; visão prejudicada; diabetes; pressão alta; fraqueza muscular de membros inferiores; fraqueza do aperto de mão; equilíbrio diminuído; marcha lenta com passos curtos; dano cognitivo. Isso já diminui muito a locomoção do idoso, fazendo com que ele fique ainda mais fragilizado. Tornando assim a queda da própria altura um dos fatores predominantes.  

Conforme dados coletados no HRTGB, nos meses de janeiro a junho de 2021 cerca de 10% dos atendimentos foram de pacientes idosos com fratura de quadril. São aproximadamente 100 fraturas por ano. De cada três pacientes com fraturas de quadril, um evolui para óbito no primeiro ano após o trauma.

Atividades e comportamentos de risco e ambientes inseguros como: hortas, sacadas e terrenos irregulares aumentam a probabilidade de cair. Nesses locais é muito fácil escorregar, tropeçar, errar o passo, pisar em falso, trombar, criando assim desafios ao equilíbrio. Os riscos dependem da frequência de exposição ao ambiente inseguro e do estado funcional do idoso. Um dos objetivos do setor de Ortopedia do HRTB é reduzir as fraturas ocasionadas por quedas em idosos.

Como prevenir as quedas em idosos

Fazer consultas anualmente - exames oftalmológicos, físicos e densitometria óssea; 

Outra dica importante é manter uma dieta alimentar com ingestão adequada de alimentos que contenham cálcio e vitamina D; 

Tomar banhos de sol diariamente;

Praticar alguma atividade física que desenvolva agilidade, a força muscular e o equilíbrio;

Eliminar de casa tudo aquilo que possa provocar escorregões, instalar suporte, corrimão e outros acessórios de segurança;

Usar sapatos com sola antiderrapante;  

Substituir os chinelos que estão deformados ou muito frouxos;  

Evitar sapatos com sola lisa; 

Nunca andar só de meias; 

Não subir em bancos ou escadas; 

Não abusar de medicamentos e álcool; 

Utilizar o apoio adequado para ajudá-lo a andar com segurança, como: bengala ou o andador (conforme orientação de um profissional); 

Na rua - preste atenção em raízes de árvores, buracos e obstáculos nas calçadas; 

Atravesse sempre na faixa de pedestres e respeite o sinal;

Caso não se sinta seguro, não saia de casa desacompanhado;

Manter ambientes iluminado, inclusive durante a noite. 


Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste

Dr° Anderson Barum - CRM 15092

Janete Severgnini Faust - Enfermeira COREN 477.781

Diretora técnica - Katia Bugs – médica - CRM 10375 – Nefrologista - RQE 5333


Fonte: Hospital Regional
Envie suas sugestões de pauta para a redação
WhatsApp Business TVGC (49) 99936 0092

Mais notícias

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.